Lendo o título da matéria você deve ter imaginado uma grávida em trabalho de parto, inalando o gás do riso , dando gargalhadas enquanto o bebê nascia também sorrindo, acertei ?  Infelizmente não é bem assim.

Bastante utilizado entre mulheres prestes a dar à luz em países como Finlândia,Suécia, Inglaterra e Canadá, chegando a ser usada em 50% dos partos nestes países e cada vez mais popular nos Estados Unidos, ainda é praticamente desconhecido no Brasil.

Descoberto em 1772, pelo químico inglês Joseph Priestley, o gás do riso ou oxido nitroso, em doses baixas funciona como um ansiolítico, diminuindo a ansiedade, e analgésico, amenizando a dor. Ao inalá-lo a pessoa entra em um estado de relaxamento e felicidade, podendo rir à toa. A sensação é assemelhada a quando exageramos na bebida alcoólica.

Em matéria à Mayo Clinic Health System, a enfermeira-parteira Jennifer Meyers esclareceu as principais dúvidas em relação ao gás do riso ou oxido nitroso, confira :

Como o óxido nitroso funciona para aliviar a dor durante o parto?

O óxido nitroso é misturado ao oxigênio e inalado através de uma máscara facial portátil ou não. Seus efeitos são sentidos em um minuto. Você segura a máscara para poder decidir quando usá-la e quanto precisa para aliviar a dor durante as contrações.

Quanto o óxido nitroso ajuda na dor do parto?

O óxido nitroso relaxa o sistema nervoso central para diminuir a percepção da dor, mas não a bloqueia completamente. Algumas mulheres descrevem isso como “aliviar a tensão”. Pode ajudá-lo a relaxar e diminuir sua ansiedade. O gás pode ser uma boa alternativa para mulheres que procuram uma alternativa menos invasiva à epidural.

O óxido nitroso tem efeitos duradouros?

O óxido nitroso é seguro para a mãe e o bebê e não causará efeitos duradouros. Assim que você afasta a máscara, o efeito de respirar o gás desaparece em algumas respirações.

Eu tenho que escolher entre usar óxido nitroso ou ter uma epidural?

Não. Você pode optar por usar o óxido nitroso primeiro e depois passar para um tipo diferente de alívio da dor, como uma epidural, posteriormente no trabalho de parto.

Outra grande vantagem é que o gás permite que a mãe esteja consciente e não perca mobilidade durante o trabalho de parto, o que não ocorre com a epidural, que pode deixá-la anestesiada da cintura para baixo durante várias horas. Além disso, o gás deixa a mulher mais relaxada e descontraída, aliviando assim a dor.

Oscar Pires, que é presidente da Sociedade Brasileira de Anestesiologia relata em matéria da BBC,  que o fato de o gás hilariante ser praticamente desconhecido no país deve-se mais a uma questão cultural, por não haver o hábito, do que uma posição contrária de médicos ou outros profissionais.

“Não conheço ninguém que seja contra seu uso, até porque diversos estudos mostram que ele traz conforto às pacientes, que não traz problemas clínicos para o bebê e que não aumenta o índice de cesárea ou o do uso de fórceps, o que é ótimo”, diz o médico.

“Outra vantagem é que ele é eliminado rapidamente, em questão de minutos, do organismo, não fica no rim nem no fígado. Ou seja, é uma ótima alternativa para as pacientes que não querem a peridural ou que desejam esperar um pouco mais para tomá-la,” acrescentou.

Fonte : BBC 

 

COMENTÁRIOS




Pais 24hs
Informação de qualidade para Pais de qualidade.