Quando criança, Lula Mae Walker adorava vestir suas bonecas e sonhava em se tornar uma mãe de verdade um dia. Agora com 73 anos, ela reflete sobre suas décadas de maternidade com um sorriso, orgulhosa dos filhos que ela e seu marido trouxeram ao mundo e da alegria que eles lhe deram.

Ela já tinha 9 filhos de sangue e encontrou espaço em seu coração e em sua casa para mais, estendendo a mão para jovens necessitados em uma escala que poucos poderiam sequer imaginar. Nos últimos 24 anos, ela aumentou sua família adotando mais 11 crianças – e criando pelo menos 300 outras. Fora os cuidados com os netos e bisnetos que são 85 ao todo.

“Nunca houve um momento de tédio, vou te dizer isso”, ela admite, levantando os olhos para o teto e rindo com carinho das memórias. “Se eu abrandasse, não sei o que me aconteceria. Minha vida é sobre crianças, minha vida inteira. ”

Ainda mais notável é que ela é mãe solteira desde o final dos anos 1970, pois seu marido morreu aos 53 anos.

Como tudo começou

“Naquela época, eu só tinha dois filhos morando comigo. Eu tinha passado por tantas tragédias e um bom amigo meu disse: ‘Por que você não vai visitar um orfanato? Acho que vai te ajudar. ‘ Então fui a uma reunião sobre isso. Eu gostei, participei de todas as aulas e me inscrevi. ”

Desde então a vida em sua modesta casa térrea em um bairro de classe trabalhadora negra de Fort Lauderdale , Flórida , tem sido uma porta giratória.

A maioria dos filhos adotivos chegou com uma bagagem emocional – abandonada, negligenciada ou abusada.

Muitas crianças sofriam de problemas de confiança e dificuldades de comportamento. Mas nenhuma vez ela considerou desistir de qualquer um deles.

Ela perdeu a mãe quando tinha 18 anos, “então tenho uma noção do que é não ter uma mãe por perto”, diz ela.

“Eu consigo me relacionar com eles, sentar e conversar com eles. Algumas crianças lhe causam problemas, mas temos que alcançá-los quando estão sofrendo e descobrir por que fazem o que fazem ”.

Ao longo dos anos, o custo de cuidar de tantas crianças chegou a centenas de milhares de dólares. Depois que o marido de Walker morreu, seu filho mais velho assumiu o negócio de gesso, o que ajudava a pagar as contas. O estado auxilia concedendo um subsídio mensal – $ 297 por mês por criança para pais adotivos temporários.

Com tantos para cuidar, existe uma lista interminável de tarefas domésticas, montanhas de roupas para lavar e muita comida para fazer. Saídas e férias envolviam pastorear crianças dentro e fora dos trens como um rebanho de ovelhas, e em aniversários, ações de graças e natal, a compacta casa de seis quartos explodia de tanta gente.

“Minha consciência me disse que isso é o que minha mãe teria feito. Ela amava seus filhos e não havia nada que ela não fizesse por eles. Ela me disse uma vez: ‘Um dia, você saberá o que é ter filhos.’ Eu com certeza sei.” declarou Walker

Fonte traduzida e adaptada :CSmonitor


Top 5 histórias mais lidas do site:
seta imagem animada 0365 - Instinto Materno, ela teve 9 filhos , adotou 11 crianças e foi mãe temporária de 300 outras*Pai descobre que sua filha fazia bullying e decide fazer compras com a vitima usando o dinheiro destinado à filha.
seta imagem animada 0365 - Instinto Materno, ela teve 9 filhos , adotou 11 crianças e foi mãe temporária de 300 outrasCom 51 anos de casamento Tony Ramos afirma “Ela é tudo” e dá dicas para a vida à dois.
seta imagem animada 0365 - Instinto Materno, ela teve 9 filhos , adotou 11 crianças e foi mãe temporária de 300 outrasHenrique Fogaça vibra com filha, que conseguiu ficar de pé e se trata com canabidiol
seta imagem animada 0365 - Instinto Materno, ela teve 9 filhos , adotou 11 crianças e foi mãe temporária de 300 outras*Ex-seringueira viúva forma 11 filhos na faculdade: que orgulho!
seta imagem animada 0365 - Instinto Materno, ela teve 9 filhos , adotou 11 crianças e foi mãe temporária de 300 outrasDeputado, médico , mas antes de tudo “PAI” . Deputado trabalha com filha no colo no Maranhão

 

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Pais 24hs
Informação de qualidade para Pais de qualidade.