A inocência e empatia das crianças é algo maravilhoso que infelizmente perdemos quando nos tornamos adultos. A praça estava cheia, mas apenas uma criança de 3 anos resolveu ajudar o catador de latinhas.

Seu Domingos é uma figura bem conhecida entre os moradores da pequena Salto da Divisa, em Minas Gerais. Ex-alcoólatra ele conseguiu largar o vício e hoje trabalha como catador de latinhas para sobreviver e durante o seu trabalho na praça recebeu uma ajuda inusitada.

Um pequeno gesto que mudou o dia deste homem

O professor Ezequias Coelho Pena, que tem por hobby fotografar e filmar, estava com sua câmera em punho cobrindo uma festa do padroeiro da cidade e avistou a cena do catador em seu ofício diário. Com o intuito de fazer uma reportagem sobre o senhor em questão decidiu gravar.

Durante a gravação eis que um menino resolveu participar da história e emocionou a todos. Trata-se de Felipinho, de 3 anos. “O menino ficou olhando e se aproximou. Achei que ele fosse derrubar as latinhas, mas ele o ajudou a amassar uma a uma e a guardá-las nos sacos de lixo. Não houve quem não se emocionasse com a atitude dele”, conta Pena.

E disse mais: “Ele não se importou se Seu Domingos estava sujo, barbudo, mal vestido. Quis apenas ajudá-lo. As crianças não têm paredes que as limitam. Para elas, todos são iguais.”

Ezequias postou o vídeo despretensiosamente em sua rede social com a frase “há momentos em que um pequeno gesto transforma a vida de muitas pessoas.” Em apenas quatro dias de postagem, ele chegou a mais de 3 milhões de visualizações. Seu Domingos e Felipinho viraram celebridade e extrapolaram os limites da pequena cidade, que tem cerca de 7.000 habitantes.

Raquel Peixoto, mãe do garoto, o define como comunicativo, alegre e simpático. Diz que ele não chega a um lugar sem ser percebido. “Felipe não tem nem noção do que fez, porque o fez com o coração. Ele não tem maldade, não tem preconceitos, é amoroso. Outro dia fomos a uma pracinha e tinha um grupo de moradores de rua, mães com crianças, e ele queria parar para brincar com elas. Procuramos ensinar isso para ele desde cedo”, lembra.

Como criar crianças gentis e solidárias ?

É disso que nossas crianças precisam e a receita não é difícil. O psicólogo da Harvard Richard Weissbour elencou em entrevista ao jornal Washington Post os cinco passos para criar crianças gentis e solidárias:

  • Mostre que a necessidade do próximo também é prioridade;
  • Diga para seu filho ser grato e solícito;
  • Ensine-o a demonstrar afeto ao maior número de pessoas, não só dentro de casa;
  • Ajude-o a lidar com sentimentos negativos;
  • Tenha uma conduta que sirva de modelo.

Em tempos em que a tecnologia tomou o lugar das relações e que o amor ao próximo (um dos dez mandamentos, lembram?) tornou-se artigo de luxo, ensinar aos pequenos os preceitos básicos de um cidadão pode ser a saída para uma sociedade tão doente.

Como disse o exemplar Profeta Gentileza, “a verdadeira gentileza é perfeito conforto e liberdade. Ela simplesmente consiste em tratar os outros exatamente como você adoraria ser tratado.” Que Felipe sirva de inspiração.

Veja o vídeo completo deste encontro:

Fonte: Diaadiarevista


Top 5 histórias mais lidas do site:
*Com 51 anos de casamento Tony Ramos afirma “Ela é tudo” e dá dicas para a vida à dois
*Henrique Fogaça vibra com filha, que conseguiu ficar de pé e se trata com canabidiol
*Deputado, médico , mas antes de tudo “PAI” . Deputado trabalha com filha no colo no Maranhão
*Com a mãe doente os irmãos colocaram ela no asilo, ele pediu demissão e resolveu cuidar dela sozinho
*Carol Nakamura adota menino de 9 anos que morava no lixão: “Saiu do lixão para nos fazer feliz”

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Pais 24hs
Informação de qualidade para Pais de qualidade.