Pais e mães vivem na corda bamba quando o assunto é disciplinar os filhos, saber ensinar as regras da vida para uma criança geralmente exige escolhas e sacrifícios bastante dolorosos, mesmo que às vezes possamos passar por pessoas severas; mas nenhuma criança deve ser punida fisicamente por ações ou atitudes não conformes ou incorretas: assim, acabamos por perder a razão. Como aconteceu com Joaquin Arambula, deputado estadual da Califórnia .

Como tudo aconteceu

O deputado, com três filhos de 3, 6 e 7 anos, bateu em sua filha mais velha porque, uma noite, enquanto os pais tentavam dormir e descansar, a menina brincava e fazia muito barulho; por isso quis disciplinar à filha batendo nela de uma maneira bastante severa.

A menina não aceitou aquele ato de violência e, no dia seguinte, contou tudo aos professores na escola.

Na manhã seguinte, quando a menina foi à escola, ela se comportou estranhamente e demonstrava estar com raiva; os professores também perceberam que a garota estava com alguns hematomas e, no final, conseguiram fazê-la dizer a verdade: o pai tinha batido nela.

Em entrevista ao ABC 30 a esposa Elizabeth declarou: “Ela estava com raiva, ela estava realmente com raiva pelo fato do pai ter batido nela. Ela acordou com raiva e foi para a escola com raiva e queria ser ouvida”.

O resultado

Depois de entrevistar a criança, os Serviços de Proteção à Criança pediram ao Departamento de Polícia de Fresno que viesse ao campus. Após verem as evidências dos ferimentos da criança e rever a declaração da menina, a polícia determinou que Joaquin Arambula era o responsável pela lesão.

A policia local então ouviu os pais e depois indiciou o deputado por acusações de lesão intencional a uma criança, seguido pela sua prisão. Pouco tempo depois, todos os três filhos foram colocados sob custódia de seus avós, os pais de Joaquin Arambula.

O pai, se justificou em entrevista a ABC 30: “Temos noites em que estamos sobrecarregados e sentimos que temos um trabalho que temos que fazer com nossos filhos.

A justificativa

Naquela noite, foi uma noite em que minha filha não estava se comportando bem. É o que os pais precisam ser capazes de fazer, ter algumas regras básicas, para serem bons pais”.

“Todo mundo que nos conhece na comunidade sabe que eu sou um pai amoroso. Me preocupo profundamente com minhas filhas e estou apenas passando por um período particularmente difícil e estou tentando fazer o melhor que posso para ser um bom marido e pai, estou tentando juntar todas as peças”, declarou o pai.

Logo após a prisão, Joaquin Arambula foi liberado e não foi formalmente acusado.

Os filhos retornaram ao lar da família 2 dias depois.

Quando perguntado o que ele diria à filha agora que ela voltou para casa. Ele respondeu: “Eu só quero que ela saiba que ela é amada e que seu pai se importa muito com ela.”

Uma história comum e cotidiana na maioria dos lares e que nos faz refletir muito sobre a linha tênue entre o trabalho dos pais em relação aos filhos e a violência física a um filho. Ainda há muito a ser discutido, sem dúvida!

E você, o que acha?
Poste nos comentários.

Fonte : Olha Que Vídeo


Top 5 histórias mais lidas do site:
*Com 51 anos de casamento Tony Ramos afirma “Ela é tudo” e dá dicas para a vida à dois
*Henrique Fogaça vibra com filha, que conseguiu ficar de pé e se trata com canabidiol
*Deputado, médico , mas antes de tudo “PAI” . Deputado trabalha com filha no colo no Maranhão
*Com a mãe doente os irmãos colocaram ela no asilo, ele pediu demissão e resolveu cuidar dela sozinho
*Carol Nakamura adota menino de 9 anos que morava no lixão: “Saiu do lixão para nos fazer feliz”

RECOMENDAMOS






Informação de qualidade para Pais de qualidade.